Faça sua avaliação
Portal de Compliance

Portal de Compliance

8 Passos para o Compliance Empresarial

Passo 7
DUE DILIGENCE & COMPLIANCE INDIVIDUAL

Conheça com quem você trabalha

<p>Passo 7<br />
<span class="light-text main-color">DUE DILIGENCE &amp; COMPLIANCE INDIVIDUAL</span></p>

Seu colaborador pode não estar aderente aos valores e ao código da organização

Sua empresa pode sofrer sanções e multas em razão de ações ilegais de terceiros que possam trazer benefícios para a sua organização

O monitoramento e tratamento dos riscos advindos de terceiros é fundamental

Mesmo um profissional capacitado e treinado, tecnicamente excelente, pode trazer riscos para a organização. Pesquisa da ICTS aponta que 24% dos profissionais apresentam baixa aderência ética. Principalmente em posição de poder, e sem os devidos controles, podem expor a organização a graves problemas de compliance.
Neste contexto, o Compliance Individual apresenta-se como uma ferramenta de grande utilidade para trazer informações relevantes para a tomada de decisão, por exemplo no processo de recrutamento e seleção, de promoção e empoderamento, e na definição de controles prioritários e automatização a serem adotados.
O risco pode se originar externamente. Para realizar negócios no mundo atual, há a exigência de uma cadeia complexa que envolve parceiros, prestadores de serviço e fornecedores. Contudo, legalmente a sua empresa pode ser responsabilizada e punida por ações ilegais cometidas por este terceiro em seu benefício. Por isto, é fundamental conhecer os seus terceiros.

É o caso da empresa que compra insumos de um fornecedor que utiliza mão de obra infantil ou análogo à escrava, ou que se utiliza de um parceiro ou fornecedor para pagar propinas ou oferecer vantagens indevidas para obter licenças e alvarás, para conseguir isenções fiscais, para não ser autuado, entre outros.
Para mapear os riscos de terceiros, um processo estruturado e contínuo de due diligence de terceiros é fundamental. Este processo visa obter informações, de forma direta e indireta, sobre características do terceiro que podem trazer riscos de compliance, incluindo eventuais relacionamentos com políticos e órgãos públicos (e outros tipos de pessoas politicamente expostas), poder para agir e decidir em nome da empresa e sua reputação.
O Due Diligence de terceiros é parte importante de um Programa Efetivo de Compliance e de um processo de qualificação, homologação e recadastramento de prestadores de serviços, representantes, fornecedores e consultores. A avaliação de riscos de fornecedores deve ser baseada em níveis de verificação por graduação de risco, no histórico dos fornecedores (envolvimento em casos de corrupção, fraudes, processos judiciais, etc), no setor em que atua e no grau de dependência da empresa pelo fornecedor.
Atente-se que se a sua empresa fornece para empresas de grande e médio porte, esteja certo de que passará por processos de due diligence. Mais um motivo para ter um Programa Efetivo de Compliance estruturado.